agosto 26, 2019 Por Haras Vista Verde

Mudanças por exames positivo nos finalistas do ALL AMERICAN FUTURITY e DERBY

jockey extra
EDIÇÃO EXTRAORDINÁRIA
Caros Amigos turfistas, profissionais, proprietários e criadores,

Uma verdadeira “mexida” no Santuário do Quarto de Milha de Corrida, as vésperas das finais da corrida mais RICA do mundo, entre todas as raças para animais de 2 anos, me fez organizar esta Edição Extraordinária do Informativo do Jockey Club de Sorocaba.
Tenho ABSOLUTA certeza que todos nós gostaríamos de que nossas corridas e nosso Turfe fosse igual ao dos Estados Unidos, onde é tão desenvolvido, que vamos buscar toda nossa
genética de lá.
Vejam a tradução abaixo, da matéria do “Monday Report Extra” deste domingo. Desta forma, começamos a entender (com fatos reais e não com “críticas sem conhecimento”) o que
se faz, com coragem, para se ter um turfe sério, com exames sérios.
Na segunda-feira dia 19/08, logo após as classificatórias do All American Futurity & Derby, os representantes da Comissão de Corridas do Novo México, realizaram testes de crina (hair
test), feitos nas cocheiras do hipódromo, com os 15 melhores tempos, das classificatórias do Futurity e do Derby (SEM PRÉVIO AVISO). Provas de US$ 3.000.000 e US$ 1.500.000.
O resultado positivo para 2 classificados no Futurity e 1 no Derby, os deixarão fora das finais.
Grande coragem tirar da final 3 animais por exames positivos!
Poderiam se assustar com ameaças de processos judiciais. Poderiam se preocupar com o grau de “rejeição” ao Hipódromo de Ruidoso e seus dirigentes. Poderiam se preocupar que
estes exames afetassem o Leilão de RUIDOSO.
Mas não. Sabe o que eles querem? O mesmo que a maioria de nós: TURFE HONESTO, JUSTO, ESPORTE SÉRIO – CREDIBILIDADE. Que fiquem os bons. É por isso que já são 59 anos de ALL AMERICAN FUTURITY.
Em Sorocaba, ainda se usa CLEMBUTEROL sem ter medo dos exames das classificatórias, feitos no Laboratório do Rio de Janeiro. Mesmo assim, às vezes, arriscam demais, erram no dia, na dose, e são pegos na final no LABORATÓRIO com credibilidade, que usamos nos EUA.
A Comissão de Corridas do Jockey Club de Sorocaba, ao perceber o fato no Laboratório do Rio, imediatamente procurou um laboratório de maior amplitude para detectar substâncisas
proibidas, e determinou o Laboratório de Davis na Califórnia. Um Laboratório que cobra caro, mas é homologado IFHA (International Federation of Horseracing Authorities), e onde as drogas proibidas aparecem.
Sou um apaixonado pelo cavalo e pelo esporte. Sou absolutamente contra as drogas, e contra que alguém que se aproveite de outro e corra em vantagem. Por isso sempre defendo
o ESPORTE JUSTO, IGUAL PARA TODOS, COM CREDIBILIDADE.
Nesta defesa, me orgulho de ter acompanhado grandes momentos da nossa Comissão de Corridas, presidida em 2018 pelo Nilsinho Genovesi e em 2019 pelo Dr. Julio Climaco, que
em nenhum momento se renderam a nenhuma pressão ou ameaças, já que estão totalmente seguros de que todas as decisões estavam corretas e amparadas pelo Código Nacional de
Corridas.
Sem a coragem e o conhecimento do Nilsinho, talvez teria desistido desta meta essencial para a CREDIBILIDADE TOTAL DE NOSSO JOCKEY.
Vamos aprender com o VAR (Video Assistant Referee), ou Árbitro de vídeo. O futebol, esporte mais popular do mundo, cansou dos que faziam gols com a mão, “cavavam” penalties inexistentes, ou de erros humanos dos “bandeirinhas”.
Copas do Mundo foram vencidas por quem não merecia. Instituíram uma ferramenta para fazer o FUTEBOL MAIS JUSTO. No início do VAR, há MUITAS críticas… em pouco tempo só veremos o benefício de VENCER O MELHOR.
A opção será sempre nossa, para qual lado queremos ir? Se vocês querem a minha opinião, a minha bandeira e o que sempre defenderei?
Quero o ESPORTE LIMPO. Quero atrair mais gente séria para o Jockey Club de Sorocaba. Gente séria só vem se souber que disputará em igualdade de condições. Quero o esporte mais barato, onde não exista “fórmulas milagrosas” para se injetar num cavalo, alegando que ele vai “voar”, e que não aparece no exame. Quero um lugar onde possa levar meus netos e incentivá-los a competir, ganhar ou perder, mas honestamente. Onde vence o melhor criado, melhor treinado.
Minhas sugestões para isso:
a) Que em 2020 se façam todos os testes em Laboratório IFHA (classificatórias e finais), mesmo que o resultado só saia depois da final. Se o animal apresentou exame positivo na classificatória e já correu a final, é desclassificado da classificatória e final.
b) Que a partir de 2020, além de suspender o Treinador com exame positivo, se suspenda também o animal, pelo tempo que passe o efeito do medicamento usado. Este detalhe, na
verdade é uma determinação Internacional, que já vem sendo adotada por vários hipódromos do Mundo, inclusive o maior do Brasil, o Jockey Club Brasileiro no Rio de Janeiro.
c) Que em 2021, passemos a fazer HAIR TEST (teste de crina).
O que me deixa feliz, é que sei que a grande maioria dos proprietários, treinadores e criadores pensam igual a mim.

Leia a matéria do “Monday Report” de ontem e tire suas próprias conclusões.

Texto de BEN HUDSON – proprietário e editor da Revista TRACK MAGAZINE, em EDIÇÃO ESPECIAL do MONDAY REPORT desta segunda-feira dia 25 de agosto.

Os proprietários e treinadores de dois cavalos que se qualificaram para os All American Futurity com bolsa de US$ 3 milhões, e um que se qualificou para Derby com bolsa deUS$ 1,5 milhões, encontraram um obstáculo no caminho para o WINNER CIRCLE em Ruidoso Downs.
No sábado, os Comissários de Corrida de Ruidoso Downs, notificaram os treinadores e proprietários ligados aos qualificados Apollitical J Wild (treinado por Salvador Soto) e Dinastia Dinamo (treinada por Jose Muela), que seus cavalos apresentaram exames positivos no (hair test) teste de crina, feitos a partir de amostras colhidas por representantes da Comissão de Corridas do Novo México, nas cocheiras de Ruidoso Downs na segunda-feira, 19 de agosto.
Esses dois cavalos tinham se classificado nas provas de sábado para o All American Futurity, com Apollitical Wild definindo o tempo mais rápido do dia, enquanto Dinastia Dinamo marcou o quarto melhor tempo do dia.
Os Comissários também notificaram o treinador e o proprietário ligados ao qualificado com o segundo melhor tempo do Derby, Ryansmanonthemoon (treinado por Cynthia Gonzalez), que também teve seu teste de crina positivo, da amostra colhida pelos mesmos representantes.
Na segunda-feira, 19 de agosto, foram coletados pelos comissários, diretamente nas cocheiras, amostras de crina dos 15 melhores tempos nas classificatórias para o All American  Futurity, e dos 15 melhores tempos nas classificatórias do All American Derby. As amostras foram enviadas para o “INDUSTRIAL LABORATORIES IN COLORADO”.
Pode haver alguns recursos legais antes das finais, mas a partir de hoje, nos parece que os cavalos com o sexto e o sétimo melhores tempos do segundo dia de classificatórias serão incluidos na final All American Futurity, em substituição aos cavalos com exames positivos (consequentemente desclassificados), e também que, um dos animais classificados no
US$ 100,000 First Down Dash Stakes (Consolação do AA DERBY) será transferido para a final do All American Derby. Ao invés de disputar US$ 100.000, passa a correr por US$ 1.500.000,00. O promovido é DETERMINED ONE.
Jeff True, Presidente e Gerente Geral do Hipódromo de Ruidoso Downs, disse a TRACK Magazine que Amethyst, que foi o sétimo qualificado de sábado, havia deixado o hipódromo antes dos testes de segunda-feira. Amethyst supostamente tinha alguns problemas que exigiam cirurgia, antes que pudesse correr novamente. Portanto, o oitavo tempo de sábado, DF Mischievous Jess, avançou para a final do All American Futurity.
O novo finalista do Derby é Rustys Miracle, que empatou com o 10º melhor tempo para a grande corrida, e depois de perder o sorteio tinha sido “rebaixado” para o Consolação.
Fique ligado. Pode haver mais mudanças antes das finais dessas corridas na segunda-feira (26 de agosto).

Postado em: Brasil,EUA
Marcado com: , , , , ,

Nenhum Comentário »

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário