setembro 25, 2013 Por Haras Vista Verde

No Secrets Here com 4 ganhadores de mais de US$ 100.000 em 2013

O Garanhão NO SECRETS HERE - vencedor do ALL AMERICAN FUTURITY – está entre os 3 únicos garanhões que produziram 4 ou mais ganhadores de mais de US$ 100.000 em 2013. Apenas NO SECRETS HERE, MR. JESS PERRY e HEZA FAST DASH conseguiram esta façanha neste ano (números obtidos até 20/09/2013).

Além disso, NO SECRETS HERE é o número 1 em percentual de animais corridos que ganharam mais de US$ 100.000.

Os corredores craques de NO SECRETS HERE de 2013,  incluem HABITS SECRETS AAAT 109, ganhador de US$ 201.215; HENOSHESECRET ganhador de US$ 139.313; a vencedora do OKLAHOMA FUTURITY (G2), FETCHING BEAUTY AAA 93 - ganhadora de U$ 132.000; o múltiplo ganhador clássico SECRETS FLY AAA 96 - ganhador de US$ 127.586; e a finalista do ALL AMERICAN DERBY G1 – ELISAS SECRET AAA 93 - ganhadora de US$ 150.189.

NO SECRETS HERE marcou 20:88s em sua vitória no ALL AMERICAN FUTURITY (G1), marca que continua sendo a melhor para os 402 metros em 54 anos de história deste tradicional grande prêmio.

NO SECRETS HERE NO HARAS FLOR DO CAMPO

Postado em: EUA
Marcado com:
setembro 25, 2013 Por Haras Vista Verde

Sugestões para os jockeys de Quarto de Milha de Corrida

Neste ano de 2014 o Haras Vista Verde completa 24 anos de criação de Quarto de Milha de Corrida.

Devemos ser um dos mais tradicionais criatórios da modalidade no Brasil.

Durante estes 24 anos, nos aprofundamos na criação e no Turfe, pelo Brasil e pelo Mundo. Contribuímos com as entidades. Fomos várias vezes conselheiro e Vice-Presidente da ABQM, Diretor do Jockey Clube de Sorocaba e do Centro Hípico d´Oeste e Presidente do Jockey Clube de Sorocaba.

Acumulamos experiências, erros e acertos. Conhecemos vários Hipódromos, Jockey Clubes e Canchas Retas no Brasil e no Mundo. Seja nos Estados Unidos, França, Argentina, Paraguai ou Brasil.

No ano passado criamos a Revista Quarto de Milha de Corrida, que com o objetivo de divulgar o haras e também fomentar a modalidade. Foi um sucesso. Neste ano, traremos a segunda edição, repleta de novidades e sugestões.

Em 2014 teremos novas lideranças nos mais importantes centros do cavalo Quarto de Milha de Corrida no Brasil, entre eles Sorocaba, Ceará e Avaré.

Com as experiências acumuladas ao longo destes 24 anos, nos sentimos na obrigação de abrir uma ampla discussão, através de sugestões para que a turfe do Quarto de Milha cresça ainda mais no Brasil inteiro.

Em nenhum momento, as sugestões tem caráter crítico, muito pelo contrário, tem caráter puramente construtivo. Todas as diretorias do Jockey Clube de Sorocaba que eu presenciei nestes 24 anos, as de antes de minha gestão, durante minha Presidência e depois deste período, foram formadas por pessoas de boa índole e caráter, que desenvolveram tudo aquilo que julgaram importante e positivo para a raça e para o jockey.

Nossas sugestões:

1) VOLTAR A TER DUAS TABELAS DE ÍNDICE – PADOCK E ANTIDOPPING

Sempre existiu duas tabelas. A diferença é brutal nos tempos de padock e antidoping.

Veja o exemplo de uma reunião qualquer. Por exemplo o dia 29 de junho, dia da final do GP RAINHA DA VELOCIDADE:

Vencedor do GP RAINHA DA VELOCIDADE – índice 90, tempo 16,76s para os 301 metros – com antidoping.

Neste mesmo dia corri uma potranca do STUD DOS AMIGOS, um páreo especial Haras Santa Maria e ela fez – índice 96, tempo 16,65s – sem antidoping.

Um amigo que nos visitava do Paraguai exclamou: Nossa, sua potranca é melhor que a RAINHA DA VELOCIDADE, marcou tempo melhor que a RAINHA… Ilusão pura!

2) REFORMULAR O GRANDE PRÊMIO TAÇA DE BRONZE, E TAÇA DE PRATA.

Estes GP, perderam a função. Possibilitam a “manipulação”, e isso está provado, com o Bronze e o Prata deste ano e do ano passado. Poucas inscrições, pois sabe-se de antemão que é corrida com resultado para poucos.

Os resultados comprovam. Em 2012, apenas 3 animais inscritos no Bronze.

ROYAL WINGS MAN RLT índice máximo em duas corridas anteriores = 73 è índice feito no BRONZE – 96

CHISELED OUSADIA índice máximo em duas corridas anteriores = 82 è índice feito no BRONZE – 103

FAVORITE GRANITE índice máximo em duas corridas anteriores = 81 è índice feito no BRONZE – 89

No Prata é o mesmo: FAVORITE era 89, fez 100 TIFANNY era 87, fez 94.

Se pegarmos o ano de 2013, acontece o mesmo:

KING SPECIAL TOLL ZO índice máximo em duas corridas anteriores = 82. VENCEDOR DO BRONZE = índice feito no BRONZE – 98

ASTRO HBR índice máximo em três corridas anteriores = 86. VENCEDOR DO PRATA = índice feito no PRATA – 98

Perceba a melhora inexplicável, sempre nestas provas.

3) VAMOS ACABAR COM AS PROVAS SEM ANTIDOPING:

- O comitê de corridas da AQHA esteve reunido em Ruidoso na quarta-feira antes das classificatórias do ALL AMERICAN/2012 que eu fui ver, em severa e importante reunião contra o uso de medicamentos ilícitos nas corridas.

- Estão fazendo todos os esforços para banir de vez qualquer tentativa de uso ilegal de medicamentos.

- Um grande grupo de criadores, elaborou uma forma de arrecadar dinheiro para avançar cada vez mais nas tecnologias de exames antidoping.

- Dr. Alred (dono de Los Alamitos) expulsou treinadores pegos em exames antidoping, ele não admite que proprietários e apostadores sejam enganados e comprometam o negócio dele.

Maiores informações sobre o assunto nos EUA, podem contatar o Vince Genco.

Os pontos positivos das provas sem antidoping:

Permite corrida sábado e domingo, o que pode ajudar no jogo e no resultado do leilão, além de facilitar para proprietários de fora de São Paulo. Porém nos EUA as provas são a cada 15 dias e muitos de nós temos cavalos correndo lá.

Pontos negativos das provas sem antidoping:

 

  • Provas não reconhecidas pela ABQM, nem pela AQHA.
  • Favorece o cavalo melhor medicado. O criador perde uma de suas principais funções: evoluir na criação de um animal melhor “LIMPO”.
  • Diminui a vida útil do animal. Aumenta o risco de acidentes: animal medicado, não respeita seus limites de dor e esforço. Gera falta de animais no jockey para formação de páreos.
  • Aumenta o custo dos proprietários que nada entendem de medicamento, e contratam “veterinários mágicos”, ou pagam contas astronômicas de seus treinadores. Na continuidade, abandonam o esporte pelo alto custo.
  • Estamos na contra mão do mundo. Provas SEM antidoping são ILÍCITAS.
  • Imagem das corridas é abalada. Perde a credibilidade. Novos proprietários sempre se sentem “enganados” pelos mais antigos.
  • A grande maioria dos criadores e proprietários são favoráveis as provas 100% antidoping, sem uso de drogas.
  • O jockey está no seu melhor momento para fazer esta aposta, pois bate recordes sobre recordes em jogo e arrecadação de dinheiro. O momento é agora para preservar o futuro dos cavalos.

Como todos são favoráveis ao ANTIDOPING, em 2011 decidiu-se trabalhar no projeto ANTIDOPING, que começaria a ser implantado progressivamente em Sorocaba Começou no GP Torneio Início, e ano a ano incorporaria-se outro GP no critério antidoping. Um por ano.

Dito e feito:

GP TORNEIO INÍCIO em 2012 tornou-se ANTIDOPING.

GP SUPER SPRINT em 2013 tornou-se ANTIDOPING.

Em 2014 era a vez do próximo GP SOROCABA FUTURITY ser ANTIDOPING… Ao invés disso, retrocedeu-se e agora o GP SUPER SPRINT permite DOPING.

4) VALORIZAÇÃO DO PROPRIETÁRIO

Na ordem de importância do mundo moderno, o CLIENTE É O REI.

O cliente do jockey é o proprietário. Ele que paga as contas do jockey. Ele que joga, ele que compra cavalos dos criadores, ele que paga o salário dos funcionários.

O proprietário, seja ele criador ou apenas proprietário tem que ser tratado como REI.

5) CALENDÁRIO:

O calendário hípico deve ser sempre divulgado antes da pré-inscrição do Gran Prix pelos criadores, para que os criadores já saibam o que e quando correrão os animais que inscreverão.

Os proprietários saberão o que e quando seus cavalos irão correr, antes de comprá-los, uma motivação a mais para esta compra.

6) CUIDADO AO SE CRIAR NOVOS GRANDE PRÊMIOS. ELES PODEM ACABAR COM OUTROS:

Acabou o Brazilian Futurity. Por quê inscrever-se para o Brazilian, pagando inscrição, se 20 dias depois podemos correr o novo GP Sorocaba Futurity, uma prova SEM INSCRIÇÃO e com DOTAÇÃO GARANTIDA de R$ 400.000,00?

Os R$ 300.000 usados para criar um novo GP (20 dias após o tradicional Brazilian), poderia ser usado para criar Torneios Importantes, OU PÁREOS COMUNS COM MAIS BOLSA NO SEGUNDO SEMESTRE, onde falta corrida e cavalos.

 

  • Outro exemplo do calendário é fazer o GP POTRO DO FUTURO (ANTIDOPING) 13 dias após o MEGARACE (DOPING). Impossível o animal que correr o MEGARACE poder participar do GP Potro do Futuro.

O calendário do Jockey deve privilegiar sempre o animal, independente de eventos externos.

7) AUMENTAR PREMIAÇÃO NOS PÁREOS COMUNS:

São estes páreos comuns, que garantem as corridas durante o ano.

São estes páreos que nos mantém no jogo para investirmos em cavalos melhores.

São estes páreos que sustentam os profissionais que vivem do jockey.

8 ) PÁREO COMUM TEM QUE SAIR DE QUALQUER JEITO:

Os páreos comuns tem que sair (nem que sejam com 2 cavalos e pouco prêmio), senão os proprietários vendem seus cavalos, pois pagam as contas todo mês e não conseguem vê-los competirem. Com corridas a cada 21 dias, se não se forma um páreo o cavalo fica no mínimo 40 dias sem correr. Se pegar duas reuniões sem formar o páreo, fica 2 meses sem poder correr o animal, e gastou mais de R$ 1.500 por mês na sua manutenção, sem a emoção de vê-lo competir.

9) CORRIDAS QUINZENAIS:

Os custos de se manter cavalos no jockey é caro, principalmente quando a oferta para vender qualquer matungo é chamativa. Quanto mais possibilidade dos cavalos correrem melhor…

10) PAGAMENTO DE PRÊMIOS – CUIDADO COM O IR:

Um amigo meu participou de um Torneio de Poker, amplamente divulgado pela mídia. Foi bem e ficou entre os 3 vencedores. Ao receber seu prêmio, teve descontado o Imposto de Renda, apenas sobre o “lucro”, descontando sua inscrição.

Sugiro, um estudo jurídico sobre o assunto, como o pessoal do Poker deve ter feito, para que todas as inscrições sejam lançadas como “depósito/empréstimo”, e os ganhos dos proprietários sejam para devolução das inscrições, e só após ultrapassar o valor das inscrições, que o IR é devido e descontado.

Quem entende de jogo sabe que o segredo do sucesso no jogo, é “não matar o parceiro, para ter ele sempre”. O não pagamento de IR sobre as inscrições, significa algo em torno de R$ 300 a 400 mil reais ano, que voltam aos “parceiros”.

Não tem lógica pagar IR sobre inscrição. Sobre um dinheiro que o proprietário pagou para inscrever seu cavalo. Isso é dupla tributação.

11) SOMENTE SERÃO ACEITAS INSCRIÇÕES DE PROPRIETÁRIOS E PROFISSIONAIS QUITES COM A TESOURARIA.

Uma forma do jockey ter seu fluxo de caixa organizado, é cumprir rigoriosamente uma regra estabelecida há anos no Jockey:.

Esta é a melhor forma de “forçar” todos estarem em dia.

12) PAGAMENTO DO JOGO PELO JOCKEY AOS VENCEDORES

O jogo deve ser pago aos ganhadores no dia (principalmente se são de fora do país).

Qualquer hipódromo/jockey do mundo, desde Los Alamitos nos EUA, passando pelo quebrado Jockey de São Paulo, e chegando ao pequeno Jockey de Coronel Oviedo no interior do Paraguai, o jogo é pago no dia.

Isso nos ajuda a dar cada vez mais credibilidade ao jockey, evita transtornos de como mandar o dinheiro ao pessoal de fora.

Não podemos esquecer que COBRAMOS PARA BANCAR O JOGO. Temos obrigação de ter dinheiro ou cheque para pagar os ganhadores do jogo na hora.

13) PRESTAÇÃO DE CONTAS DO CONDOMÍNIO

Da mesma forma que o edifício onde moramos e pagamos condomínio, a administradora deve prestar contas do condomínio e realizar reuniões regulares com os condôminos.

14) PRESTAÇÃO DE CONTAS DO GRAN PRIX:

O Gran Prix é uma bolsa formada pelos criadores e proprietários que distribui o valor apurado em inscrições.

Os sócios devem receber mensalmente, ou a cada reunião um extrato da distribuição de dinheiro do Gran Prix. Se no final do ano sobrou dinheiro do Gran Prix, ele deve ser devolvido aos inscritores proporcionalmente as inscrições. O ideal é distribuir tudo.

15) INVESTIR NO TATERSALL:

Pinta-lo, colocar laje na entrada, comprar os ventiladores de teto… Tudo isso custa pouco e diminuem muito os custos dos leilões.

 

Vamos debater, vamos todos para o mesmo lado, o lado do CAVALO QUARTO DE MILHA DE CORRIDA.

Se você discorda de alguma destas sugestões, mande sua crítica, seu comentário, sua indignação, que colocaremos no blog, para que todos vejam seu ponto de vista.

 

Postado em: Artigos
Marcado com:
setembro 25, 2013 Por Haras Vista Verde

Dois filhos de No Secrets Here se classificam para a final do Governors Stakes

Secrets Fly

O segundo ano dos filhos de No Secrets Here nas pistas americanas está ainda melhor que o primeiro.

O garanhão, que é de propriedade de um condomínio entre Haras Vista Verde, Haras Flor do Campo e o Royal Vista Ranches de Oklahoma, colocou dois filhos na final do Governors Stakes.

Secrets Fly, filho de No Secrets Here em égua Strawfly Special, fez o melhor tempo das classificatórias: 17,581s para os 320 metros.

Secrets Fly venceu 6 de suas 8 corridas e tem mais de US$ 125.000 em premiação. Entre suas vitórias, duas clássicas: QHIRAI Stallion Service Auction Futurity e Old South Futurity.

Secret Miracle, uma filha de No Secrets Here em mãe Dean Miracle, ficou com a 6ª vaga para a final ao marcar 17,719s. Ela soma duas vitórias na carreira e agora participa de sua primeira final clássica.

O Governors Stakes, que ocorre no Hipódromo de Indiana Downs, terá sua final no dia 12 de outubro e distribuirá US$ 50.000 em prêmios.

 

Postado em: EUA
Marcado com: , , , ,
setembro 25, 2013 Por Haras Vista Verde

Filho de Chicks Regard se classifica para a final do Hobbs America Futurity (G2)

You N How Many More

You N How Many More, filho de Chick Regard, fez o quinto melhor tempo entre os 57 potros que disputaram as classificatórias.

A final do Hobbs America Futurity, prova de Grupo 2 que ocorre no Hipódromo de Zia Park será no dia 6 de outrubro e distribuirá US$ 275.000 em prêmios.

O tordilho, que já conta com 3 vitórias e mais de US$ 250.000 em prêmios foi segundo no Ruidoso Futurity e finalista do All American Futurity.

 

Postado em: EUA
Marcado com: , , ,