junho 30, 2019 Por Haras Vista Verde

UM DIA PARA NÃO ESQUECER

Ontem foi um dia onde nós, além de torcer, esperávamos muito mais uma vitória de nosso Yankee Verde. Muitos, a maioria, esperava também que isso acontecesse. Neste 29 de junho de 2019, Yankee Verde perdeu.

Yankee Verde é um cavalo especial. Provavelmente o melhor cavalo que já criamos. Um dos melhores velocistas da história do Quarto de Milha no Brasil.

Quem conhece a história sabe que ele se superou em diversos momentos. Desde pequeno, quando um grande corte fez com que tivesse que ficar meses em uma cocheira enquanto os outros de sua geração eram criados soltos nas pastagens do Haras Vista Verde. A cicatriz resultado disso o prejudicou comercialmente e o fez com que não fosse vendido no leilão e acabasse ficando conosco. Que destino feliz!

Depois disso, campanha quase que perfeita aos dois anos com vitória na classificatória e final do GP Torneio Início. Vitória na classificatória e final do GP Sorocaba Futurity. Vitória com melhor tempo por ampla margem na classificatória do GP ABQM Potro do Futuro, aquele que teve a maior dotação da história. A grande final, onde ficou em segundo por mínima diferença, depois de um problema na cocheira duas horas antes da prova. Não era pra ser.

Chegou então a hora do descanso, com uma cirurgia para correção de pequenos problemas nos joelhos. O descanso foi ótimo! E como ele aproveitou!

Voltou então para os treinamentos, no final de 2017 em ótimo estado. Havia ficado solto por meses e chegou no jockey forte e com o pêlo lindo, muita saúde!

Nosso plano era correr o GP Challenge para, numa eventual vitória, enviá-lo para disputar corridas nos Estados Unidos. Largada da prova classificatória: Tudo começou mal. Ele escorregou na partida, fez uma corrida de recuperação, brigou, lutou, foi empurrado e ganhou uma das corridas mais impressionantes que eu assisti na vida.

Depois desta linda corrida, começamos a conviver com um joelho inchado que não descobríamos o que tinha. Radiografias não mostravam nada. Diversas infiltrações para tentar deixa-lo bem depois, tomamos a difícil, mas melhor decisão de deixa-lo de fora da grande sonhada final.

Muito tentamos e sem grandes evoluções no caso, decidimos então por mais um período de férias para ele, quase um ano no haras, vivendo a vida solto na natureza. Ele ficou ótimo!

Voltou para os treinamentos no Jockey de Sorocaba, reapareceu com vitória, recorde e, duas semanas depois, com o título do GP I Derby de 2019, o maior derby da história, já que teve 21 inscrições.

Aí chegamos no dia de ontem. Ele muito bem e decidimos inscrevê-lo no GP Rei da Velocidade. Na prova classificatória fez uma má largada, correu bem, se recuperando, mas perdeu.

Cavalos perdem. Não existe cavalo imbatível. Se algum não perdeu, talvez deu sorte e talvez também correu menos vezes do que deveria. “Carreras son carreras”. Cavalos tem dias ruins, cavalos muitas vezes são atrapalhados por nós e não demonstram seu real potencial.

Aí que está a beleza e magia de nosso esporte tão especial: não existe corrida ganha na véspera. Não existe corrida que se entra derrotado. Basta estar lá para poder ganhar e perder, vibrar, chorar, gritar, chorar, sofrer.

Uns ganham, muitos perdem. O nosso esporte é sim feito de mais derrotas do que vitórias.

O mais importante de tudo isso é o respeito pelos animais e as amizades que as corridas de cavalos constroem, humanos com humanos e humanos com cavalos.

Precisamos agradecer e lembrar dos dias como os de ontem. Dias de saúde, de curtir as corridas com a família e os animais.

Postado em: Artigos
Marcado com: ,

Nenhum Comentário »

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário